quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

NOTE OF SOLIDARITY - NOTA SOLIDARIDAD



_español

NOTA DE SOLIDARIDAD A LA EMBAJADA DE CUBA

En el último mes de noviembre, Cuba, el pueblo cubano y aquellos que se los prestan solidaridad observaron atentos a la farsa mediática atraves del cual un grupo autodenominado Movimiento San Isidro, con apoyo de terroristas en los E.E.U.U. y de la prensa burguesa, aplicó un intento fracasado de "golpe suave" contra el pueblo cubano.

Entre los días 18 y 27 de noviembre el grupo se reunió en la sede del Movimiento San Isidro, en el barrio homonimo en la Habana, en una supuesta huelga de sed y de hambre que en la práctica nunca ocurrió. Reivindicaban "libertad de expresión" y la libertad de Denis Solís González, un artista supuestamente censurado, que había sido encarcelado en el comienzo de noviembre y condenado a 8 meses de cárcel por desacato.

En el momento de su prisión, Denis Solís gritaba que su presidente era Donald Trump, actitud en parte reveladora de los intereses que tanto él como el Movimiento San Isidro representan. Además de eso, Denis Solís reconoció en video su vínculo con Jorge Fernández Figueras, que ya ha orquestado acciones terroristas a un grupo emplazado en Miami. Figueras había ofrecido 200 dólares para Denis Solís también servir a la contrarrevolución.

Entre los líderes del Movimiento San Isidro está Luís Miguel Otero Alcántara, que ostenta un historial de provocaciones contra la Revolución Cubana y admira figuras que intensificaron el bloqueo genocida de los E.E.U.U. contra el pueblo cubano.

Los intereses del Movimiento San Isidro son expresamente alineados a los intereses del imperialismo estadunidense y de su burguesía, que quiere lucrar a costa de la opresión y de la explotación del pueblo cubano, como ocurría hasta 1959. Si no representaran el imperialismo, no habría razones para Mike Pompeo, en más una demostración de injerencia de los Estados Unidos en los asuntos internos de los gobiernos de otros países, se haber manifestado públicamente en apoyo a los golpistas. Pero esa farsa contrarrevolucionaria, propagada por la prensa burguesa como una lucha honorable por supuestas libertades democraticas (a ejemplo de lo que ocurre en otros países que no se doblegan a los intereses del imperialismo) rápidamente se ha desmoronado y hoy no queda nada si no el de reconocimiento del fracaso de esos golpistas.

La injerencia promovida por el imperialismo sigue el orden de lo que ocurre recientemente en otras partes del mundo, como Síria, Ucrania y Belarús, en una estrategia de guerra híbrida, en el intento de promover desestabilización atraves de manifestaciones que según parece, serían espontáneas, pero obviamente no lo son. Quien está en el frente de ellas recibe apoyo externo, sea de ONGS estadunidenses o indivíduos aliados al imperialismo como es el caso del Movimiento San Isidro.

Además de los intentos de promoción de golpes suaves con el financiamiento e incentivo a grupos terroristas en otros países, los Estados Unidos buscan la desestabilización de aquellos que no se doblegan a sus intereses imperialistas también atraves de bloqueos económicos y sanciones, política con la cual Cuba sigue sufriendo hace seis décadas, desde 1960. Mismo en el contexto de pandemia por lo cual el mundo pasa, el bloqueo no ha cesado, por lo contrário, ha sido más intenso. Y Cuba ha respondido con ejemplar solidaridad a los pueblos, como las Brigadas Medicas Henry Reeve no se dejan negar.

Por lo tanto, nosotros, de la Casa de Amistad Brasil-Cuba en el Ceará venimos expresar y saludar la firmeza de la Revolución y del pueblo cubano, bien como manifestar nuestro más profundo repúdio a las acciones orquestadas por los golpistas y a la injerencia de los Estados Unidos en los asuntos internos del gobierno cubano, que no se los dice respeto.

 

¡Abajo el criminal bloqueo imperialista a Cuba!

¡Viva la Revolución Cubana!

¡Viva la resistencia del heroico pueblo cubano!

 

_português

NOTA DE SOLIDARIEDADE À EMBAIXADA CUBA

No último mês de novembro, Cuba, o povo cubano e aqueles que lhes prestam solidariedade observaram atentos à farsa midiática através da qual um grupo autointitulado Movimento San Isidro, com apoio de terroristas nos EUA e da mídia burguesa, aplicou uma tentativa fracassada de "golpe suave" contra o governo cubano.

 

Entre os dias 18 e 27 de novembro o grupo se reunia na sede do Movimento San Isidro, no bairro homônimo em Havana, numa suposta greve de sede e de fome que na prática nunca aconteceu. Reivindicavam "liberdade de expressão" e a liberdade de Denis Solís González, um artista supostamente censurado, que havia sido preso no começo de novembro e condenado a 8 meses de prisão por desacato.

 

No momento de sua prisão, Denis Solís bradou que seu presidente era Donald Trump, atitude em parte reveladora dos interesses que tanto ele como o Movimento San Isidro representam. Ademais, Denis Solís reconheceu em vídeo seu vínculo com Jorge Luis Fernández Figueras, que já orquestrou ações terroristas contra Cuba e pertence a um grupo com base em Miami. Figueras havia oferecido 200 dólares para Denis Solís também servir à contrarrevolução.

 

Entre os líderes do Movimento San Isidro está Luis Manuel Otero Alcántara, que ostenta um histórico de provocações contra a Revolução Cubana e admira figuras que intensificaram o bloqueio genocida dos EUA contra o povo cubano.

 

Os interesses do Movimento San Isidro são expressamente alinhados aos interesses do imperialismo estadunidense e de sua burguesia, que quer lucrar às custas da opressão e da exploração do povo cubano, como acontecia até 1959. Se não representassem o imperialismo, não haveria razões para Mike Pompeo, em mais uma demonstração de ingerência dos Estados Unidos em assuntos internos dos governos de outros países, ter se manifestado publicamente em apoio aos golpistas. Mas essa farsa contrarrevolucionária, propagada pela mídia burguesa como uma luta louvável por supostas liberdades democráticas (a exemplo do que acontece também em outros países que não se curvam aos interesses do imperialismo) rapidamente desmoronou e hoje não resta nada senão o reconhecimento do fracasso desses golpistas.

 

A ingerência promovida pelo imperialismo segue a ordem do que vem acontecendo recentemente em outras partes do mundo, como Síria, Ucrânia e Belarus, numa estratégia de guerra híbrida, na tentativa de promover desestabilização através de manifestações que aparentemente seriam espontâneas, mas obviamente não são. Quem está à frente delas recebe apoio externo, seja de ONGs estadunidenses ou indivíduos aliados do imperialismo, como é o caso do Movimento San Isidro.

 

Além das tentativas de promoção de golpes suaves com o financiamento e incentivo a grupos terroristas em outros países, os Estados Unidos buscam a desestabilização daqueles que não se curvam aos seus interesses imperialistas também através de bloqueios econômicos e sanções, política com a qual Cuba tem sofrido há seis décadas, desde 1960. Mesmo no contexto de pandemia pelo qual o mundo passa, o bloqueio não cessou, pelo contrário, tem sido mais intenso. E Cuba tem respondido com exemplar solidariedade aos povos, como as Brigadas Médicas Henry Reeve não deixam negar.

 

Portanto, nós, da Casa da Amizade Brasil-Cuba no Ceará, vimos expressar nosso apoio e solidariedade e saudar a firmeza da Revolução e do povo cubanos, bem como manifestar nosso mais profundo repúdio às ações orquestradas pelos golpistas e à ingerência dos Estados Unidos em assuntos internos do governo cubano, que não lhe diz respeito.

 

Abaixo o criminoso bloqueio imperialista a Cuba!

Viva a Revolução Cubana!

Viva a resistência do heróico povo cubano!

 

_english

NOTE OF SOLIDARITY TO THE CUBA EMBASSY

Last November, Cuba, the Cuban people and those who show them/their solidarity closely observed the media farce through which a group that refers itself as the San Isidro Movement, with support from terrorists based in the USA and the bourgeois media, attempted a failed "soft coup" against the Cuban government.

 

Between November 18th and 27th, the group met at the headquarters of the San Isidro Movement, in the homonymous neighborhood in Havana, in a so-called thirst and hunger strike that in practice never happened. They demanded "freedom of speech" and the freedom of Denis Solís González, an allegedly censored artist, who had been arrested in early

November and sentenced to 8 months in prison for contempt.

 

At the time of his arrest, Denis Solís shouted that his president was Donald Trump, an attitude that in part reveals the interests that both he and the San Isidro Movement represent. In addition to that, Denis Solís recognized on video his link with Jorge Luis Fernández Figueras, who has already orchestrated terrorist actions against Cuba and belongs to a group in Miami. Figueras had offered $ 200 for Denis Solís to serve the counterrevolution as well.

 

Among the leaders of the San Isidro Movement there is Luis Manuel Otero Alcántara, who carries a history of provocation against the Cuban Revolution and admires figures who have intensified the USA's genocidal blockade against the Cuban people.

 

The interests of the San Isidro Movement are expressly aligned with the interests of USA imperialism and its bourgeoisie, which wants to profit from the oppresion and exploitation of the Cuban people, as it used to until 1959. If they did not represent imperialism, there would be no reason for Mike Pompeo, in one more demonstration of the United States' interference in the internal affairs of other countries's governments, to have expressed himself publicly in support of the scammers. But this counterrevolutionary farce, propagated by the bourgeois media as a commendable fight for supposed democratic freedoms (something that also happens in other countries that do not bow to imperialism's interests) quickly collapsed and today there is nothing left but the recognition of the failure of those scammers.

 

The interference promoted by imperialism follows the order of what has been happening recently in other parts of the world, such as Syria, Ukraine and Belarus, in a hybrid war strategy, in an attempt to promote destabilization through manifestations that would be apparently spontaneous, but they obviously are not. The ones who lead them receive external support, whether from American NGOs or individuals allied with imperialism, as is the case of the San Isidro Movement.

 

In addition to attempts to promoting soft coups by financing and encouraging terrorist groups in other countries, the United States seek to destabilize those who do not bow to their imperialist interests also through economic blockades and sanctions, a policy with which Cuba has suffered for six decades, since 1960. Even in the context of a pandemic that the world is going through, the blockade has not ended, on the contrary, it has become more intense. And Cuba has responded with exemplary solidarity to the peoples, as the Henry Reeve Medical Brigades do not omit.

 

Therefore, we, from the Casa da Amizade Brasil-Cuba in Ceará, Brazil, came to express our support and solidarity and salute the firmness of the Revolution and of the Cuban people, as well as express our deepst rejection of the actions orchestrated by the scammers and the interference of the US in internal affairs of the Cuban government, which

does not concern it.

 

Down with the criminal imperialist blockade against Cuba!

Long live the Cuban Revolution!

Long live the resistance of the heroic Cuban people!



terça-feira, 18 de agosto de 2020

Carta aos EUA pelo Fim do Bloqueio a Cuba - inglês e português

            TO THE GOVERNMENT OF THE UNITED STATES OF AMERICA

         Mr. Donald Trump

 

        We, from the state of Ceará, located in the Northeast of Brazil, representatives of social and political movements signed below, considering the tragic pandemic that reaches all the peoples, of the world, which has already victimized millions of people, reaping tens of thousands of lives, we saw:

1)    Express out most vehement repudiation of the recent attitudes of the United States Government that ignoring all help that Cubans have offered without distinction of origin, to the people needy from the world, adopts measures that further deepen the unjust and genocidal blockade imposed on Cuba for almost six decades, causing incalculable losses of the economic end humanitarian points of view.

2)    Require the end of the economic blockade that as already mentioned, for almost six decades have been unjustly perpetrated  against the Cuban people and amid the world’s sanitary crisis caused by Covid-19 has been even intensified.

In these almost sixty years, Cuba never offered reason for such diplomatic persecution. As Fidel Castro said, Cuba doesn’t have nuclear weapons, chemical weapons or biological weapons by the contrary to the example of  the Henry Reeves Brigades has always demonstrated solidarity and respect for the people  from all over the world. “Doctors, don’t bombs! That’s what the world needs.

The world need doctors and not bombs.

Today, despite the harmful effects of the cruel American blockade to the Cuban people, the Cuba  Government is on the front line in combating this sanitary crisis and has been showing examples of solidarity to all peoples of the planet, by sending medical, medicines and participating in the research on the development of vaccines, drugs and efficient measures in combating viruses.

Acting against freedom and solidarity to the peoples, the American Government has been trying to prevent the fight against Covid-19 that be humanitarily performed. While in the world even in the United States people die at thousands every day.

Therefore we reinforce our manifestation of repudiation and our demands at the end of    economic blockade.

¡No más bloqueo!

 

 

 

MOVEMENTS:

 

Casa da Amizade Brasil Cuba do Ceará,

Partido Comunista Brasileiro,

Partido dos Trabalhadores de Fortaleza,

Partido Comunista do Brasil,

Tendência Revolucionária Socialista,

OPTEI,

Vanguarda Popular,

Campo Socialista,

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST do Ceará,

Movimento Democracia Participativa,

SEBRAPAZ – Ceará,

Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Fiação e Tecelagem de Fortaleza,

Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras no Comercio e Serviço do Ceará,

Sindicato dos Trabalhadores do Serviço Público Federal do Estado do Ceará,

Resistência Socialista – Ceará,

Fórum de Mulheres do Fisco-FMfi do Ceará,

Partido dos Trabalhadores do Município de Baturité-Ceará,

Casa de Cultura e defesa da Mulher Chiquinha Gonzaga-Ceará,

Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados Serviços de Computação de Informação e Novas tecnologias da Informação do Estado do Ceará,

Sindicato dos Eletricitários do Estado do Ceará,

 

 

AO GOVERNO DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

 

Sr. Donald Trump,

 

Nós, do estado do Ceará, localizado no nordeste do Brasil, representantes dos movimentos sociais e políticos abaixo firmados, considerando a trágica pandemia que atinge todos os povos do mundo, a qual já vitimou milhões de pessoas, ceifando dezenas de milhares de vidas, vimos:

 

1) externar o nosso mais veemente repúdio às recentes atitudes do governo dos Estados Unidos, que, ignorando toda a ajuda que os cubanos têm oferecido, sem distinção de origem, aos povos necessitados do mundo, adota medidas que aprofundam ainda mais o injusto e genocida bloqueio imposto a Cuba há quase seis décadas, causando prejuízos incalculáveis dos pontos de vista econômico e humanitário;

 

2) exigir o fim do bloqueio econômico, que, como já mencionado, há quase seis décadas vem sendo injustamente perpetrado contra o povo cubano e, em meio à crise sanitária mundial causada pela Covid-19, tem sido mesmo intensificado.

 

Nesses quase sessenta anos, Cuba jamais ofereceu razão para tal perseguição diplomática. Como dizia Fidel Castro, Cuba "não possui armas nucleares, nem armas químicas, nem armas biológicas". Pelo contrário, a exemplo das brigadas Henry Reeve, tem sempre demonstrado solidariedade e respeito aos povos de todo o mundo. "Médicos, não bombas!" É disso que o mundo precisa.

 

Hoje, a despeito dos efeitos nefastos do cruel bloqueio estadunidense ao povo cubano, o governo de Cuba está na linha de frente no combate a essa crise sanitária e vem mostrando exemplos de solidariedade a todos os povos do planeta, enviando médicos, medicamentos e participando das pesquisas em torno do desenvolvimento de vacinas, fármacos e medidas eficientes no combate ao vírus.

 

Agindo na contramão da liberdade e da solidariedade aos povos, o governo estadunidense vem tentando impedir que o combate à pandemia de Covid-19 seja humanitariamente realizado. Enquanto isso, em todo o mundo, inclusive nos próprios Estados Unidos, pessoas morrem aos milhares todos os dias.

 

Portanto, reforçamos nossa manifestação de repúdio e nossas exigências ao fim do bloqueio econômico: ¡NO MÁS BLOQUEO!

 

 

 

 

 


 

 

quinta-feira, 30 de janeiro de 2020

- NOITE CUBANA -

#NoMásBloqueo
O bloqueio econômico, comercial e financeiro dos Estados Unidos contra #Cuba entrou em vigor em 7 de fevereiro de 1962 e intensificou-se em dimensões irracionais nos últimos anos.

1º GRITO DE CARNAVAL CONTRA O BLOQUEIO A CUBA
Dia 06/02/20 - quinta-feira na ADUFC aconteceu o 1º Grito de Carnaval contra o Bloqueio dos EUA a Cuba, foi um SUCESSO!!! 👏🏼
Noite Cubana foi abrilhantada por Pingo de Fortaleza com o Maracatu Solar, Descartes Gadelha,  Cumpade Barbosa e muita salsa com Samuel, dançarino e professor do ritmo caribenho. 🥁👆🏽 Mojito e Charutos deram o tom da festa
¡Hasta la Victoria Sempre! 🏽 ¡Patria o Muerte, Venceremos!
61 anos da revolução cubana reforça os ideais revolucionários pela solidariedade, internacionalismo e paz entre os povos!
_Mural de mensagens destacava o Amor à Ilha
_Organização e colaboradores embalados pela alegria caribenha
#VivaCubaLibre 🇨🇺 #VivaLaRevolución


1º Grito de Carnaval contra o Bloqueio à Cuba
Noite Cubana traz mistura de culturas com salsa e carnaval
A festa, realizada pela Casa da Amizade Brasil Cuba do Ceará, acontece na quinta-feira, 06/02, na Adufc, com entrada gratuita.

A Casa da Amizade Brasil Cuba do Ceará, com o apoio da ADUFC, realiza na quinta-feira, 06/02, às 18h30, na sede da Adufc (Av. da Universidade,2346 - Benfica), a Noite Cubana - 1º Grito de Carnaval contra o Bloqueio à Cuba.  O evento celebra os 61 anos da revolução cubana e reforça os ideais revolucionários pela solidariedade, internacionalismo e paz entre os povos.

Regado a mojitos e charutos cubanos, o evento contará com a participação especial do cantor Cumpade Barbosa e apresentação do Pingo de Fortaleza com o Ensaio do Maracatu Solar. Também vai ter muita salsa com direito a aulão de dança.
Uma novidade nesta edição do evento é a venda de comidinhas veganas, além dos pratinhos convencionais e bebidas em geral. A entrada é gratuita.

Serviço:
Noite Cubana - 1º Grito de Carnaval contra o Bloqueio à Cuba
Quando? Quinta-feira, 06 de fevereiro de 2020
Onde? Sede da Adufc - Av. da Universidade,2346 - Benfica
Que horas? 18h30 - Fortaleza/CE

Realização: 
Casa da Amizade Brasil-Cuba/CE
End.: Rua Waldery Uchoa, nº 625 (B) – Benfica
Fortaleza - Ceará

sábado, 18 de janeiro de 2020

Marcha das Tochas - Cuba

Marcha de Las  Antorchas - 28 de enero    
Uma multitudinária marcha de luz percorre Havana, em homenagem ao homem que, por sua absoluta dedicação à terra natal, foi reconhecido pelo seu povo como apóstolo.


Todos os anos, a data do nascimento de José Martí, 28 de janeiro, convida todas as gerações de cubanos às escadarias da Universidade de Havana para a Marcha das Tochas – Marcha de las Antorchas.

A capital de Havana permanece acordada para iluminar seus edifícios, história e vida, 500 anos após sua fundação, comemorando assim a vida de um de seus filhos mais amados.

Fonte: ACN - Agência Cubana de Notícias - http://www.acn.cu/


Livre tradução: Gláucia Lima –  
Vice-presidente da Casa de Amizade Brasil-Cuba do Ceará